Ciranda Poética – APRENDER – Participantes

 
*****
 
Aprender!

Querer aprender,
A um alheio que passa,
Antes que ser ruído de traça
Senão que por prazer faça,
De saber querer,
Sem nada esperar em volta,
Nem respeito, nem mesmo amor,
Sem a esperança de ser amado.

Aprender a ensinar,
Dar sem retomar,
Não fazer nada que aprender,
Aprender e Amar,
Amar sem esperar,
E por amar,
Tudo aprenderemos,
Aprender a sorrir,
Só pela beleza do gesto.

Aprender a esperar,
E sem desejar o resto,
E aprender para viver,
E depois um dia partir,
Para poder defender e,
Provar à sua felicidade,
Que nos deram como um erro,
Tanto que esperávamos mais.

Aprender a sofrer,
Depois de se ver e de crer,
Para enganar o medo do vazio,
Pregado como tantas rugas,
Que embaciam espelhos,
Em silêncios sem murmúrios,
Sem defesa nem armaduras,
Sofrer e querer morrer.

Aprender a sonhar,
Como nascer das cinzas,
Com tanto amor a vender,
E tirar um traço no passado;
Para então se revelar,
E a sonhar por dois,
Só assim em fechando os olhos,
E depois voltar aprender.

Aprender a ficar,
E dar sem rasura,
E sem meias medidas,
E querer até ao fim,
Sim ficar apesar de tudo,
Aprender então a amar,
E nunca aprender a partir.

texto
Manuel Poète©

 
 
*****
 
Aprenderei!
 

 

 

A que rima o sofrimento…

como dissimula-lo

esquecê-lo?

Viver a vida

" Zen"

apesar dos obstáculos

por ela semeados !

A que rima sofrer

aguentar

viver

de pé…se manter

apesar que de rastos!

Num momento de repouso

Aprendi!

Às vezes a felicidade abandona-me

avanço

entorpecida pela tristeza

enquanto que na vida

tudo é bom a reter

dela

tenho tudo a aprender! 

©Moi-Même

*****

 

Sou ainda aprendiz, de feiticeira

Na alquimia das palavras

Que no papel, o lápis chora

Estou no lado de cá da vida

Para aprender, até ir embora

Se o vento chora a desgraça

Qual é a graça do vento!

Teria o vento mais graça

Se leva-se embora o lamento

E teria o lamento graça

Nas palavras, que tanto chora

Se para escrever o lamento

Leva-se o vento embora

Se a chuva lava-se as lágrimas

Que chora o meu coração

Bastaria, o sal das mesmas

Para sentir o perdão

Se aprender, é viver

Eu vivo sempre aprendendo

Aprenderei até morrer

Viverei sempre aprendendo

Pára as lágrimas

Pára o vento

Pare o lápis de escrever, qualquer lamento

Pois para se lamentar

Não lhe dei consentimento

Pois se vivo para aprender

Aprenderei a viver

E se tiver que chorar

Chorarei, pois então

Chorarei enquanto vivo

E vou aprendendo a lição

Angelina Andrade

*****

 

APRENDI…

Aprendi que o passado é um navio fantasma
Que sempre me deslumbrou como veneno
Que envenena o paraíso da minha mente.
Salta como a primavera

É ansiedade e é medo
Harmonia num jardim estragado
Mas há uma nova vida para lá semear.
Tenho certeza que o tempo não existe
Não é uma invenção dos Deuses
É um erro humano
E o TIC TAC vil do meu relógio
Traz-me de volta a esta dimensão.
Onde aprendi a perdoar
Aprendi a esquecer
É por isso que eu descarrego todo este fardo do passado
Porque não quero voltar a entrar naquele barco!
E naufragar de novo…

Aprendi…

E quero flutuar como a mulher que sou.
Construir a varinha mágica dos meus sonhos…

Mas isso eu ainda tenho que aprender…

Anna

*****

 

Hexagonal circunstância
Nos dias acontece
Momentos para aprender
Substancia que nutre o ser.

Cerco aberto a conhecer
Horizontes infinitos
Viagem inesperada
Nuvem de alegria.

Soletrar a cada hora
Olhares inquietos
No movimento dos mistérios
Ao alcance para crescer.

Justa combustão evoluir da vida
Caminhar na descoberta
Até ao limite dos tempos
Vasculhar solitárias faces.

Partilhar com o tacto nas mãos
Semear em terra nobres
Dispersão dos passos
No universo incompleto
Rumo livre na medida
De todas as coisas.

 
Ana coelho
 
*****
 

Aprender

a libertar as correntes

das falsas prisões

a cultivar as sementes

de novas intenções

libertar nossas mentes

de inatas tensões

criar novos presentes

de outras emoções

Aprender

novas formas de amar

sem do outro nada pedir

novas formas de ficar

sem vontade de partir

outras formas de julgar

sem que seja a que servir

outras formas de tentar

sem ter de ser a subir

Aprender

a respeitar

aquilo que o Mundo quer de nós

Aprender

a saber dar

p’ra que nunca estejamos sós 

Maria João

*****

 

Menina alegre

Que vive sonhando…

Irá aprender a ver

Quem realmente são

Os seus amigos

Pois esses jamais

A abandonarão.

Não me peçam

A lógica do que sinto

Pois a vida é propícia

A fazer-nos errar.

Mas os nossos erros

Podem ser transformados

E com eles aprendemos.

Menina alegre

Que vive num mundo

Imaginário ainda…

Vai pelo caminho

Apanhando um punhado

De flores fresquinhas

Para a professora

Com muita alegria.

Menina alegre

Mena

*****

Aprender.
 
Aprender a caminhar
por caminhos já andados
seguir as sendas deixadas
pelos pés dos nossos
antepassados
 
Ler nos livros da história
as lutas e guerras vencidas
trazer ao presente as memórias
de povos e raças desaparecidas.
 
Aprender com o povo
as coisas simples da vida
 
O cheiro a terra molhada
mesmo acabada de ser lavrada
O sabor da fruta
que se apanha da árvore
o cheiro das flores
colhidas na primavera
Aprender a caminhar
quando já não há pernas
para andar.
Aprender a seguir
mesmo que a esperança
morreu no nosso sentir.
Aprender os sons do silêncio
decifrar as mensagens do vento.
 
Aprender a ser grande
sendo humilde.
trilhar as sendas da sabedoria
olhar o céu de noite
e encontrar a sua estrela guia.
 
São Gonçalves
 
*****
 
Aprender  
 

 

Tantas vezes errei…

Nesta caminhada pela vida

Recuei e mudei de direcção,

Em cada erro uma lição.

Mesmo nos momentos

Em que me julgava perdida

Sempre me vinham alentos

Em quaisquer recordações

Que me tinham feito aprender

Desta arte de viver

Que ninguém traz ensinada.

– É aprender até morrer!

Assim o diz quem tem o saber

Da lição bem estudada

Pela longa caminhada

 Liz

*****

 

Aprender

Aprendi a viver em dias despidos

Vi gente com dor no peito instalada

Aprendi a por meus olhos erguidos

A sacudir a dor pelas ruas espalhada.

Aprendi a não virar a cara para o lado

A dar a mão a alguém que chamava

Por socorro num tom abafado

Uma guerra que alguém aclamara.

Aprendi a atravessar montanhas

Pelos ventos cortadas

Em laminas de dor tamanhas

Em melodias de fogo cantadas.

Aprender

Aprendi a encher de sorrisos os meus dias

A por nos meus dias aromas perfumados

Aprendi a fazer das tristezas alegrias

Do meu templo fiz  vales encantados.

Aprendi a cor dos Mares do Céu e da Terra

Aprendi a melodia dos pássaros

Que dia a dia me trazem a primavera

Com mil sorrisos com mil abraços.

(Angelina Alves)

*****

 

Ao nascer um pequeno ser
Procura se alimentar e crescer
Reconhece as feições do progenitor
Entrega se ao calor de mãe
Nascido para lutar e resistir
Depende do saber de quem faz o faz sorrir
Enfrenta com seu grito de guerra
Respostas que não sabe dar
 
Avança destemido para o desconhecido
 
Vai o pequeno ser a grande descoberta
Ignorante descobre o que é doer
Valente não desiste de se levantar
Encontra formas de o fazer
Responde ao chamamento da natureza
 
Alcançadas muitas vitórias, cresceu
Perdidas algumas batalhas amadureceu
Realizou descobertas que o moldou
Entrou numa nova fase da vida
Notou que a dois a vida tem outro sabor
Defende alguem sem saber porquê
Entrega se a sentimentos que ignorava
Reage sem sentido, loucuras de paixão
 
Alcança o amor sentimento que o viu nascer
 
Amanhece um novo dia de uma jovem vida
Marcada Ainda de leve pela sabedoria
A união acaba por dar frutos
Renasce o ciclo da vida…

 

De Barros

*****

 

APRENDER

 

Vejo-te,  e, não disfarço o meu prazer

Em perceber-te os olhinhos inquietos

A descobrir deslumbrada, o alfabeto

Desejando-o de imediato, aprender

Observo, com enlevo, os teus primeiros passos

De uma longa trajetória

Nesse mundo fantástico das letras

Onde combinas, num instante, as vogais e consoantes

Ouro com diamante

No escrínio da tua memória…

Admiro-me de te ver assim,

Como a pureza das águas correntes

Que segue o seu curso levando as sementes

Ou como a terra sedenta   

Que sorve as águas das chuvas

Fertilizando a imaginação

Onde a fantasia e o real se encontram

Em grande emoção!

– Vai …minha amada criança!

Semeie em ti mesma as suaves combinações

Do abc,  Sentimento e  Razão

E, ao juntar ao teu sentir as letras que formam palavra Amor

Aprenda também a conjugar

Num só fôlego, ou  devagar

Estes verbos – Aprender e Amar

Docemente leve, de um nunca-acabar

Profunda. Lentamente. No coração

Pois, és ainda,  na Escola da Vida

Pequeno jardim ao Sol do Saber

Que anseia pela floração!

 

Simplesmente Lu…(Maria Lucia) 

*****

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Uma resposta a Ciranda Poética – APRENDER – Participantes

  1. OdíLiA SpAcE diz:

    APRENDER – foi o que fiz a vida inteira com as minhas crianças… Aprendi a parar o tempo, a imaginar, a gostar de tudo e de nada, aprendi a viver intensamente, aprendi que o arcoíris tem 8 cores e aprendi também a rir com eles…mesmo estando triste!!!Com a Adriana, uma aluna de 6 anos, me iniciei nestas coisas da informática, nos finais do século passado…Parabens pelo tema e pelos poemas. Cheguei tarde…gostaria de ter participado, mas eu ando alheada de tudo…Beijos e parabens a todos. / Mári

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s